Uma importante parte das infecção (talvez 80% do total) não chega a provocar quaisquer sintomas. Chama-se a isso infecção inaparente.

cartaz_dengue_1Na sua forma clássica, os sintomas iniciais da primeira infecção pela dengue são semelhantes aos da gripe: dores musculares e ósseas, rápida subida da temperatura. Mas há a acrescentar as dores atrás dos olhos, e a especial intensidade das dores, que fizeram chamar à dengue "Break Bone Fever" (doença do ossos partidos). Há erupção cutânea, sem prurido, inicialmente, manchas vermelhas difusas, com posterior desenvolvimento maculopapular. As palmas das mãos e as plantas dos pés não são afectadas.

Uma segunda infecção poderá desencadear a dengue hemorrágica, que pode ser mortal. Nessa situação, há outros sinais de alerta:

Alterações de coagulação sanguínea, hemorragias nos vasos sanguíneos junto à pele, e em órgãos internos, dor abominal, dificuldades respiratórias, vómitos, sangue no vómito ou nas fezes, hemorragias nasais, nas gengivas, urinárias e uterinas, tonturas, diminuição na quantidade de urina, fígado aumentado, extremidades azuladas, pulso acelerado e fraco, confusão mental, baixa de temperatura e aumento dos glóbulos vermelhos. É fundamental que o doente seja tratado rápidamente.

Na consequência da dengue hemorrágica, pode-se chegar à pior das situações, ao síndroma de choque da dengue. Há uma queda profunda da pressão arterial, palidez, perda dos sentidos. Pode provocar alterações neurológicas (delírios, psicoses, paralisias, etc...), insuficiência hepática, derrame pleural. è muito grave e se não intervencionada de imediato poderá provocar o óbito.

Projecto Dengue

imm_75

ufrj

Financiado por: